quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Adagiário do namoro

Idílio (1929).
Artur Alves Cardoso (1883 -1930).
Óleo sobre tela (160 cm x 105 cm), inacabado.
Museu do Chiado, Lisboa.

A importância do namoro conduziu à existência de um “Dia dos Namorados”, comemorado a 14 de Fevereiro, em coincidência com o “Dia de São Valentim”. Este terá sido um sacerdote cristão e mártir, morto a 14 de Fevereiro de 269 d.C., por realizar casamentos em sigilo absoluto, violando um decreto do Imperador Romano Claudius II, que proibia os casamentos, para assim angariar mais soldados para as suas frentes de batalha. São Valentim tornou-se assim o patrono dos namorados e o “Dia de São Valentim” é considerado o “Dia dos Namorados”.
A importância do namoro faz com ele esteja presente na literatura oral e em particular no adagiário. Todavia é escasso o adagiário português do namoro, já que a recolha por nós efectuada, não abrange mais que 28 especímenes, assim distribuídos pelos vários termos: enamorado (1), namorada (2), namorado (20), namorar (1), namoro (4). Alguns são variantes de outros. O estudo que incidiu na amostra recolhida foi sistematizado conforme adiante se mostra.

Há quem pense que o namoro tem tempo próprio:
- As crianças com bonecas, a mocidade com namoros e a velhice com a igreja.
Namorado velho não é visto com bons olhos:
- Três homens não se sofrem (1) no mundo: homem soberbo, velho namorado e rico mentiroso.
Os namorados abstraem-se daquilo que os cerca:
- Cuidam os namorados que os outros têm os olhos fechados. (2)
- Namorados, falai baixo que as paredes têm ouvidos.
O namoro pode ser passageiro:
- Namoro é ramo de souto, vai um e vem outro.
- Namoro de Carnaval, não chega ao Natal.
- Namoro de praia, enterra-se na areia.
Para a sabedoria popular não há bons namorados:              
O bom namorado dissimulado engana.(3)
A paixão conduz o enamorado a uma visão amplificada do objecto do seu amor:
- Os olhos da namorada têm mais luz que o sol.
Os namorados não se devem deixar iludir pelas aparências um do outro:
- Quem namora pelo fato, leva o Diabo ao contrato.
As zangas de namorados são encaradas com reserva:
- Em briga de namorados ninguém se deve meter: eles fazem as pazes e fica mal quem está de fora.
As desavenças de namorados são, de resto, vistas como reforço do amor:
- Arrufos de namorados são amores dobrados.(4)
- Namorados arrufados, casamentos contratados.
Alguns namorados são vistos com displicência:
- Namorados de ai-ai, não são papas nem mel.(5)
À sabedoria popular parecem desagradar as mulheres que passam muito tempo à janela:
- Mulher janeleira, namorada ou rameira.
Ajoelhar de namorado é considerado vergonhoso:
- Mais vale salteador que sai à estrada que namorado que ajoelha.
Alguns enaltecem o namoro, mas ridicularizam o casamento:
O solteiro é um pavão, o enamorado é um leão, o casado é um asno.

Como o “Dia dos Namorados” coincide com o “Dia de São Valentim”, parece-nos legítimo, por extensão, considerar este “adagiário do namoro” como “adagiário de São Valentim”. 

.....................

(1) - Aguentam.
(2) - Variantes:
- Cuidam os namorados que todos têm os olhos quebrados.
- Julgam os namorados que todos trazem os olhos fechados.
- Pensam os namorados que os outros olhos são cegados.
(3) - Variante: 
- Bom namorado, dissimulado engana.
(4) - Variantes:
- Arrufos de namorados são namoros cobrados. 
- Arrufos de namorados, amores dobrados.
- Pelejas de namorados, são amores renovados.
- Rixas de namorados, amores dobrados.
- Zangas de namorados, amores dobrados.
- Zangas de namorados são amores renovados.
(5) - Variante: 
- Namorados de ai-ai, não são papas nem sal.